Evento: Diversidade e Inclusão

01/05/18 Evento: Diversidade e Inclusão

 

A Padaria Real promove a inclusão de pessoas deficientes em seu quadro de colaboradores com ações planejadas que resultam na satisfação desses funcionários especiais pelo acolhimento, adaptação e aprendizado de toda a equipe. O objetivo é alcançado com o processo humanizado de gestão destes recursos humanos, por meio do qual todos passam a se sentir em plenas condições de interagir. Este trabalho é realizado sob a orientação da Consolidar, que se dedica a otimizar os processos específicos envolvidos nessa gestão, que resultam positivamente para as pessoas envolvidas e para o negócio como um todo. Assim, temos a grata satisfação de apoiar o evento “Diversidade e Inclusão como estratégias de negócio”, aberto a todos os interessados, especialmente aos empresários e aos gestores de Recursos Humanos.

 

 

PARTICIPE

Para participar, basta preencher o formulário de inscrição.

DATA: 22/05/18

Horário: das 8h30 às 12h30

Local: FACENS – Rodovia Senador José Ermírio de Moraes, 1.425 (Castelinho km 1,5) – Alto da Boa Vista – Sorocaba / SP

 

A inclusão na Padaria Real

A política de contratação da pessoa com deficiência da Padaria Real foi tema de reportagem da BBC Brasil, em outubro de 2015. Samanta Vilalon Barbosa falou à reportagem sobre a cultura da Real para a inclusão: “Nosso objetivo é trabalhar as competências do novo talento e desenvolvê-lo. É transformar um compromisso de responsabilidade social previsto em lei em uma experiência favorável ao aprendizado de toda a equipe. Na verdade, nós nos preparamos para que possamos conviver com cada um. Ninguém fica de fora. É cem por cento da equipe envolvida.”

Trabalham na Padaria Real pessoas com diferentes necessidades. Samanta diz que tudo começa logo no ato de contratação: “A pessoa com deficiência diz no que gostaria de trabalhar e então passará por uma preparação. Nossa equipe também é orientada nesse treinamento. No decorrer das atividades no dia a dia, as pessoas envolvidas se colocam de forma colaborativa e, ao mesmo tempo, receptiva à ideia de um novo modo de fazer as coisas. O resultado é que todos têm um ganho comportamental e passam a enxergar a vida de um outro jeito.”

Um dos entrevistados da reportagem da BBC Brasil foi Reginaldo Nagamoto, deficiente visual, que trabalha como repositor. Ele contou como foi seu desenvolvimento: “No começo, achei que não fosse conseguir, porque não podia ler nada. Com o tempo fui decorando o tipo de pão. Sempre tinha uma pessoa comigo, o meu padrinho. Hoje, só de pegar no pão eu já sei qual é.”

Outro colaborador, Sandro Feliciano Leite, é cadeirante. Até 2011 ele era segurança. Em consequência de um acidente de moto, perdeu os movimentos das pernas. Voltou ao serviço um ano depois. E todos o acolheram em suas novas funções: recepção e operador de caixa.

“Trabalhando a gente retoma a vida, a convivência e se sente útil. Mas, ficando em casa, a gente fica depressivo, sentindo-se inútil”, disse Sandro.

“A empresa que nos orienta, que nos ensinou a enxergar todo o potencial da pessoa com deficiência, é a Consolidar. A nossa equipe agora vai muito mais longe!”, afirmou José Eduardo de Souza, o Doia.